Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

No meu Palato

No meu Palato

Os meus melhores de 2020 (vinhos) | Os Pilares da Terra

“Alguns homens procuravam por reconhecimento; outros por vinho, outros pelos corpos de mulheres bonitas e outros pela vida monástica de ordem e obediência. O que pretendia Ned? A resposta veio à sua mente com uma rapidez e facilidade que o apanhou de surpresa: justiça!!!”  Ken Follett

Os melhores de 2020Porque devemos beber vinho? Vamos retirar das opções as respostas mais óbvias como o facto de nos saber bem, de nos fazer desfrutar muito melhor as refeições, de ajudarmos os produtores nestes tempos difíceis ou de nos permitir a criação/fortalecimento de alguns laços afetivos. Nas últimas décadas, este néctar dos deuses ganhou a reputação de promover o nosso bem estar.

Os melhores de 2020O vinho, tinto em particular, tem sido associado a uma maior longevidade, a uma melhor circulação sanguínea, a uma maior densidade óssea, ao retardamento do envelhecimento celular,  à perda de peso e a um menor risco de doenças cardíacas. Apesar de podermos usar esta "desculpa" para comprar mais algumas garrafas, não acredito que a maior parte de nós, beba vinho, sobretudo, por motivos de saúde, por isso passemos a outro...

Os melhores de 2020Estes dias li um artigo de Madeleine Puckett que defendia que o consumo moderado de vinho (coisa que todos os leitores deste blogue fazem, aliás, acredito que nem soubessem que existia outra maneira de o consumir ;)) poderia aumentar a nossa libido e, bem ... isso quer dizer que nos deixaria com desejo sexual (não usei a palavra que Madeleine Puckett usou, e que rima com descontração, porque caso contrário, teria a Clarisse a moer-me o juízo durante um mês ;).

Os melhores de 2020Madeline argumenta que em pequenas quantidades (2 copos de vinho), o álcool aumenta a nossa libido, fazendo-nos sentir com a necessidade de usar Fenistil. ;) Isso acontece porque o etanol estimula uma parte muito primitiva do nosso cérebro chamada hipotálamo, que está localizado logo acima do tronco ... cerebral. Essa parte do cérebro regula as nossas funções básicas, incluindo a temperatura corporal, a fome, os níveis hormonais, o apego parental e, é claro, o nosso impulso sexual.

Os melhores de 2020Já agora, as mulheres sentem-se particularmente "acesas" com aromas almiscarados, terrosos, amadeirados, de alcaçuz e de cereja que normalmente encontramos nos Pinot Noir, Nebbiolo, Barbera, Sangiovese, Syrah e Cabernet, todos eles já com alguma idade, se possível (digam lá que não sou vosso amigo!!!). Por sua vez os homens parecem sentir-se sexualmente despertos (a trabalheira que eu estou a ter para evitar palavras mais assertivas) com as notas de lavanda, caramelo, manteiga, laranja, alcaçuz, especiarias recozidas e baunilha. Para estes, procurem vinhos como o Moscato, Sherry seco, Porto Tawny, Grenache, Syrah, Chardonnay (especialmente os com madeira) e Pinot Noir, Viognier.

Os melhores de 2020Confessem lá que agora passaram a ter mais um critério que vai pesar na vossa decisão de escolher um determinado vinho!!!  No entanto, e embora a percentagem de pessoas que se possa encaixar nesta categoria pudessse ser maior, esse não é, o motivo que vos quero falar hoje. Essa razão é o facto do vinho nos permitir viajar espiritualmente numa altura em que isso não nos é permitido fazer fisicamente. Provar e beber vinho é uma autentica viagem, de descoberta de novos aromas e sabores, que tem o condão de, por vezes, nos fazer tele-transportar para o sitio onde esses vinhos assentaram os pilares na terra.

Os melhores de 2020Continuando no enquadramento literário de Ken Follett para os prémios do blogue deste ano,  não sei se estes heróis vínicos, na sua luta diária, procuravam também reconhecimento, simplesmente vinho, uma vida monástica, o corpo bonito de alguém, ou apenas justiça, o facto é que tenho de lhes agradecer as fantásticas viagens que me proporcionaram, sobretudo no contexto #cáporcasa, no qual recebi perto de 400 vinhos em casa, mais que um por dia!!!

Os melhores de 2020Por causa deste número astronómico (que fez com que não tivesse conseguido dar destaque a todos) e também por me ter sido pedido por alguns produtores, vou criar uma nova rubrica, o #notasoltas, na qual passarei a colocar as notas de prova de vinhos com classificação inferior a 85 pontos, numa publicação (forçosamente) menos culturalmente esmiuçada que as outras. A ver se este ano, não deixo "ninguém de fora". Passemos então a enumerar os ilustres vencedores deste ano.

 

Melhor Vinho: Barca Velha 2011

Os melhores de 2020

Tive o prazer de conhecer este "monstro" num Julgamento de Pedigrees. Traja um vermelho-sangue muito denso e o que me chamou inicialmente à atenção no nariz foi algo que também encontrei noutros Barca-Velha mais novos: os aromas deliciosamente sedutores a cedro, caruma, resina e charuto. A fruta parece-me mais presente que em edições anteriores com ameixa vermelha e cereja bem maduras. A mineralidade rochosa (xisto/argila), pimenta preta, baunilha, ligeiro picante vegetal (gengibre) e madeira muito bem integrada completam a experiência olfactiva deste vinho. No palato confirma as inebriantes notas do nariz e exibe taninos aguerridos e sólidos, harmonia e uma acidez "alegre" e cheia de vigor, quase electrizante. É complexo, elegante, equilibrado e ... interminável. Não está fácil a sua chegada ao mercado, pelas ultimas informações que tive, será em Abril. 

Os melhores de 2020

 

Melhor Branco: Fragmentado Branco Blend I

Melhor Branco: Fragmentado Branco Blend I

Só não é o melhor vinho do ano, por causa do vizinho tinto de cima. Ainda assim, não deixa de ser um diamante vínico. No copo apresenta-se amarelo-palha cristalino e límpido. Entra no nariz com aromas a hortelã-pimenta, toranja, limonete, damasco e com muita energia, evoluindo mais tarde para notas de panificação, melaço, brioche e um leve apetrolado. No palato é untuoso, balsâmico, mineral (granito molhado), crocante, encantadoramente fresco e muito elegante. É equilibrado, harmonioso, ponderado, complexo e genuíno, uma preciosidade. 

Os melhores de 2020

 

Melhor Rosé: Dona Aninhas Reserva Rosé 2019

Os melhores de 2020E esta, hein? É muito mais que os tradicionais rosés, fáceis, directos e para beber ao pé da piscina. Exibe uma cor salmão-rosada e um aroma bastante complexo/equilibrado/inesperado carregado de chocolate branco, violetas, cravo e canela. A fruta como o pêssego e o coco aparecem em segundo plano, dando-lhe uma camada extra muito interessante. Se estavam à espera de encontrar morangos, como nos rosés típicos, esqueçam lá isso ;) No palato mostra personalidade, estrutura, uma deliciosa mineralidade salina, secura e uma acidez que faz que não nos cansemos dele. 

Os melhores de 2020

 

Melhor Espumante: Pacheca Pinot Noir Grande Reserva 2009

Os melhores de 2020Um espumante ao qual não faltam vírgulas. Amarelo dourado na cor e com bolha super fina, este espumante seduz no aroma com toques de framboesa, cereja, leves citrinos e um pouco de brioche. No palato passeia com uma acidez frenética, uma textura mineral intensa, um corpo enorme e uma crocância que o faz ganhar muita complexidade. Para além de todos estes predicados, é um espumante que claramente pede comida. Fiquei fã ;)

Os melhores de 2020

 

Melhor vinho RPQ: Hasso Tinto 2018

Os melhores de 2020Um Apelo Selvagem de cor vermelha gema-grenã e que exibe ameixa preta, amoras maduras, frutos do bosque, esteva e urze. No palato é sumarento, macio (taninos redondos e secos), com boa acidez, elegância e mineralidade (xisto partido). Os vinhos Hasso são macios, elegantes, finos e descomplicados mas que não deixam de transportar o apelo selvagem do terroir a que pertencem. Têm uma excelente relação preço/qualidade e marcas identitárias muito fortes, que não são nada fáceis de encontrar em vinhos desta gama de preços. O rótulo é super bem pensado e original, até pela junção das características do cão e dos vinhos, e que permite que o Hasso ande por aí numa aventura, viajando em garrafas e a conhecer locais onde nunca esteve, a ver o que há por aí...

Os melhores de 2020

 

Melhor Porto Vintage novo: Gricha Vintage Port 2018

Os melhores de 2020Um vinho quase opaco com auréola violeta. Carrega aromas de lavanda, mirtilos, alcaçuz e chocolate After Eight. No palato é mineral (xisto quebrado), complexo, acertivo, com uma acidez entusiasmante e exibindo dupla personalidade: é intenso, estruturado, firme e com taninos aguerridos mas ao mesmo tempo, é fino, terrivelmente elegante, nobre e genuíno, atrevo-me mesmo a dizer que tem aquela altivez de porte das elites vínicas. É um vinho para beber em silêncio, ouvindo o vento que sopra lá fora e em que a cada gole, se sublima o tempo, assentam parcerias e fortalecem amizades felizes. É um bom exemplo da nova geração de vintages que já dão uma prova muito bonita, mas que têm tudo para evoluir favoravelmente durante umas boas décadas em garrafa.

Os melhores de 2020

 

Melhor Porto Vintage antigo: Ferreira Vintage 1863

Os melhores de 2020Um vinho que nem me atrevi a pontuar objectivamente, mas cuja experiência e subjectividade relacionada com a prova de um vinho tão antigo, tem certamente 100 pontos. Do Ferreira Vintage 1863 não se conhece o enólogo (na altura adegueiro), a origem das uvas, que quantidade de aguardente foi adicionada ou que castas o constituem, mas é um vinho enorme. Provavelmente feito com quantidades consideráveis de castas brancas carrega sobranceiramente biscoito, maçã verde (??!!??), passas, chocolate branco, amêndoas, charuto, café, iodo e farmácia. Um hino aos aromas terciários e que no palato se passeia com elegância, intensidade, equilíbrio e complexidade.

Os melhores de 2020

 

Melhor Porto Tawny: Pacheca 40 years old Tawny

Os melhores de 2020De côr âmbar acastanhada este 40 anos da Pacheca apresenta aromas complexos a caramelo, chocolate, a especiarias (noz moscada e canela), a nozes, a pêra confitada e a mel. O palato é simplesmente delicioso, longo e aveludado. Este será, quiçá, o sitio onde nos sentimos melhor em família... Visitamos a Pacheca antes de casar, depois de casar, antes da Bia nascer, depois da Bia nascer, antes do Gui nascer e depois do Gui nascer!!! Sempre na companhia deste 40 anos, um velho amigo. ;)

Os melhores de 2020

 

Melhor Porto Colheita: Taylor's Single Harvest 1968

Os melhores de 2020A Taylor's iniciou esta " espécie de Colheita de 50 anos" com a edição de 1964 (ou, como eles preferem dizer, Tawny de colheita única). Este 1968 parece-me muito mais fino que as edições anteriores e está cheio de noz, caramelo, pimenta e cravo da India. O palato é sustentando por uma elevada densidade, textura redonda, uma elegância vincada e uma acidez muito bem integrada. O final é ... interminável... 

Os melhores de 2020

 

Melhor Vinho #cáporcasa: Quinta do Monte Xisto 2017 

Os melhores de 2020Não gosto de me repetir, mas este também é um vinho enorme e que nos parece querer mostrar que "Ser ou não ser?" é muito mais que uma simples questão. De cor vermelha-grená, densa e opaca exibe no nariz cerejas, uvas esmagadas (aquele cheiro a vindima), esteva, giestas, sous-bois, fumo, petrichor, grafite, xisto molhado e ... alecrim ;) No palato é cheio de frescura, intensidade, persistência e com uns taninos austeramente elegantes. Um vinho elegante, aveludado, macio, complexo, harmonioso e impactante.

Os melhores de 2020

 

Melhor Branco #cáporcasa: Titan of Douro Vale dos Mil Branco 2018

Os melhores de 2020De cor amarelo-citrina este é um vinho que nos prova, que por vezes, as pedras falam. Tem um ataque persuasivamente sedutor com loureiro e zimbro. Surgem também notas frutadas (toranja, lima e damasco), minerais (sílex), fumadas (caixa de tabaco e pão torrado) e florais (espinheiro). No palato passeia-se com um bonita dicotomia untuosidade-frescura. Tudo com muito equilíbrio, elegância, carácter e uma tensão que é comum a todos os brancos Titan.

Os melhores de 2020

 

Melhor Espumante #cáporcasa: Valados de Melgaço Alvarinho Reserva Extra Bruto 2016

Os melhores de 2020Traja um amarelo-citrino bonito e tem uma bolha muito delicada, emanando deliciosos aromas a relva acabada de cortar, abacaxi, maçã verde e um ligeiro brioche. Na boca é super elegante, aveludado, crocante e super fresco. Um espumante muito fino, coerente, complexo que nos sussurra que Cada um pode ser muita gente.

Os melhores de 2020

 

Melhor Porto #cáporcasa: Quevedo Porto Branco 30 anos

Os melhores de 2020

Este foi o último vinho de uma noite de Verão em família (quente e longa). Tem uma cor lindíssima, âmbar dourada com pequenas pinceladas verdes. Emana notas sedutoras a compota de laranja, casca de laranja confitada, figos, nozes e ... favos de mel. A complexidade da boca é tão grande como a do nariz, mostrando-se seca, rica, intensa, untuosa e equilibrada. Dessa noite ficaram os Favos de Mel e outras memórias.

Os melhores de 2020

 

Melhor Porto Colheita #cáporcasa: Dona Matilde 2013

Os melhores de 2020Resultante de uvas colhidas nas vinhas de baixa altitude da quinta e de uma posterior selecção dos lotes com maior qualidade e envelhecidos em cascos (de 600 litros) com dezenas de anos, exibe um traje vermelho-romã aloirado e aromas deliciosos a fruta vermelha compotada (ameixa, morango e cereja), doce de amora silvestre, cassis, figos secos, chocolate, caramelo, baunilha e pinhão tostado. Se o deixarmos um pouco mais de tempo no copo surgem umas notas deliciosas a iodo, que o tornam muito complexo. Na boca é denso, longo, largo e com uma acidez muito equilibrada. Este é  O teu Porto a teu jeito.

Os melhores de 2020

 

Melhor Tawny #cáporcasa: Kranemann 20 years old Tawny

Os melhores de 2020

Este vinho causou-me um problema moderadamente sério. ;) Tinha atribuído o "prémio" a outro, no entanto provei-o há umas horas e ainda não me consegui desligar dele. É o melhor 20 anos que provei até hoje. Quem mo enviou disse-me que era um "grande, grande vinho", e não poderia ter sido mais certeiro. De cor âmbar com nuances rubi-ferrosas e de grande complexidade aromática (maçapão, avelãs, noz, amêndoa torrada, figos secos, resina, noz-moscada e pimenta da Jamaica),  exibe um palato intenso, untuoso, fresco, equilibrado e muito persistente (o copo vazio já há umas horas está a servir de ambientador ;)).

Os melhores de 2020

 

Enólogo Promessa: Diogo Lopes

Os melhores de 2020No ano passado tive o prazer de acompanhar quase todos os projetos que o Diogo tem. Faz e ajuda a fazer vinhos com uma relação qualidade/preço, que chega quase a ser obscena. Após estágios pelas principais regiões portuguesas e por Napa Valley, na Califórnia, acabaria por começar a trabalhar em 2005, no Alentejo, ao lado de uma grande referência do vinho em Portugal, hoje um grande amigo: Anselmo Mendes. Vindima após vindima, surgiram novos desafios e novos projectos. Entre o Alentejo, a Região dos Vinhos Verdes, os Açores ou a Região de Lisboa. Tenho a certeza que o Diogo vai longe, não vou acrescentar muito mais porque estou a preparar uma publicação totalmente dedicada a ele. ;)

Os melhores de 2020

 

Melhor Enólogo: Luís Leocádio

Os melhores de 2020Luís Leocádio (Enologia) e Vanessa Santos (Gestão), nascidos e criados no Douro; ele em Trevões, ela em Paredes da Beira, freguesias de São João da Pesqueira, saíram das raízes para estudar e ganhar experiência, regressando às origens, iniciando em 2016 o projecto Titan of Douro. O Luís esculpe vinhos com denominadores comuns óbvios, de que são exemplo a enorme complexidade, a elevada frescura, a mineralidade muito própria, a intensidade inebriante, a harmonia completamente arrebatadora e a identidade muito vincada. É por todos estes detalhes que acho que a noção holística que o Luís desenvolveu nestes vinhos não se esgota apenas na construção de cada um individualmente, mas na sua concepção em conjunto. 

Os melhores de 2020

 

Projecto do Ano: Parceiros na Criação

Os melhores de 2020Do Douro com amor e um banho no jardim chegou-nos um projecto familiar e encantador, não só nos vinhos mas também nos valores com que se regem. PNC é a sigla da Parceiros Na Criação, mas, curiosamente, também dos apelidos dos seus criadores: Pratas & Nápoles de Carvalho, respectivamente. Joana e João são um jovem casal que decidiu apostar na produção e comercialização de vinhos e azeite no Douro. Deste projecto fazem parte activa os seus filhos: a Maria Teresa e o António Maria. Produzem vinhos com denominadores comuns: a intensidade, a harmonia, a complexidade, a acidez vibrante e sobretudo a identidade e terroir afectivo que tanto gosto nos vinhos. 

Os melhores de 2020

 

Melhor Evento: Porto Extravaganza 2020

Os melhores de 2020

Este foi dos textos que mais gozo me deu escrever, e modéstia à parte, um dos que ficou melhor. As esquinas do tempo e Abraham Lincoln levaram-me a um dos encontros mais bonitos que tive a oportunidade de participar. O organizador deste evento no Palácio Hotel Seteais, em Sintra, é Paulo Cruz (Bar do Binho) que o apelida “do mais famoso evento de vinhos generosos” e, aqui para nós, não está muito longe da verdade ;) Conforto, um serviço exemplar, num espaço super requintado e com provas sem pressas, são marcas indeléveis do compromisso com a excelência que por lá se promove. Infelizmente, só entrei para a família unida "Porto Extravaganza" no ano passado, e logo após o dia no qual esta prova ocorreu, surgiram os primeiros casos de COVID-19 em Portugal. Aguardo ansiosamente por poder voltar a sentir aquele o ardor infantil no peito maduro, na viagem para  Seteais.

Os melhores de 2020E amigos, é assim que chegamos ao fim. Parabéns aos "vencedores". Segunda feira voltamos a "encontrarmo-nos" para o anúncio dos "melhores da restauração"...Até lá, seja pela vossa saúde, por motivos libertinos, pelas viagens mentais, pelo reconhecimento, pela procura de corpos de mulheres (ou homens) bonitas(os), pela vida monástica ou pela justiça, bebam vinho que vos vai fazer bem. ;)