Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

No meu Palato

No meu Palato

Vinhos Discórdia | A brisa fresca de uma terra árida e agreste

"No meio da confusão, encontre a simplicidade. A partir da discórdia, encontre a harmonia. No meio da dificuldade reside a oportunidade." Albert Einstein

DiscórdiaA próxima viagem da rubrica "Cá por casa" leva-nos a visitar a Herdade Vale d´Évora, situada a poucos quilómetros de Mértola, no Baixo Alentejo, casa  mãe dos vinhos Discórdia. A propriedade está integrada no Parque Natural do Vale do Guadiana, beneficiando de uma paisagem de grande beleza, marcada por terrenos de ondulação generosa, uma vegetação autóctone e o rio Guadiana que a serpenteia.

Discórdia

Plantada em 10 hectares da herdade, a vinha dos Discórdia tem talhões de quatro castas tintas (Touriga Franca, Touriga Nacional, Alicante Bouschet e Syrah) e de três brancas (Arinto, Verdelho e Antão Vaz). É uma vinha aberta sobre a paisagem e couto de caça turística, de perdizes autóctones a javalis, rodeada de vegetação indígena, alguns campos de cereais e significativas zonas de reflorestação com azinheiras e medronheiros, numa área total de 550 hectares.

DiscórdiaOs vinhos Discórdia são uma autêntica materialização da história de vinha em vinho. Têm o ADN do Baixo Alentejo, quente e seco, mas igualmente a especificidade da vinha de onde se colhem as uvas de que são feitos. Comecemos pelo Discórdia Reserva branco 2018 (17€, 88 pts.). Foi produzido a partir de um lote com predominância da casta Arinto (cerca de 65%) e presença das castas Verdelho e Antão Vaz. O final da fermentação e estágio (de oito meses) foi feito em barrica e com agitação de borras finas. 

DiscórdiaTudo isto resultou num vinho de cor cítrica viva e que exibe volume, ligeira untuosidade, frescura e intensidade, com notas de maçã verde, lima, flor de laranjeira, nozes e uma pedregosidade muito interessante. Acompanhou muito bem os Lombos de goraz grelhado, com camarão, mexilhão e gelatina de citrinos e marisco

DiscórdiaPara acompanhar a Perna de coelho com o seu fígado, cogumelos, batata assada e salteado de legumes haviam duas opções o Syrah da Discórdia 2017 que inaugura a gama sem regras e mais irreverente do projecto, ou o Discórdia Reserva tinto 2017,um lote que integra as castas Touriga Nacional, Alicante Bouschet, Touriga Franca e Syrah.

DiscórdiaDiscórdia Reserva tinto 2017 (17€, 90 pts.) resulta de uvas da Herdade Vale d’Evora, vindimadas manualmente e com selecção de cachos, desengace total e fermentação a temperaturas controladas. Passou por estágio de 18 meses em barricas de carvalho francês de 300 litros. É um néctar muito floral com notas deliciosas a lavanda, bagas silvestres, ameixa preta, framboesas, amêndoa, baunilha, tabaco, e cassis. No palato entra com intensidade, frescura (elevada e surpreendente), voluptuosidade e secura.

DiscórdiaJá o benjamim Syrah da Discórdia 2017 (13,5€, 87 pts.) com estágio em barricas grandes para preservar a fruta é um fiel portador do terroir de Mértola. Um vinho cheio, frutado (morangos, ameixa preta), um pouco mais quente que o Reserva (apesar de na ficha técnica apresentarem a mesma acidez), com pimenta preta e uns taninos delicados. A boca é muito elegante, suculenta e harmoniosa. Contrariamente aos outros vinhos, em que acho que vão evoluir positivamente em garrafa, este Syrah está pronto a beber. 

DiscórdiaDenominador comum a todos estes vinhos? Uma surpreendente e inebriante acidez conjugada com uma apaixonante harmonia, nada expectável para quem cresceu numa terra árida e agreste e numa luta diária pela sobrevivência. Parabéns ;)

Lombos de goraz grelhado com camarão, mexilhão e gelatina de citrinos e marisco

Partir o pregado em lombos e grelhar num tacho com azeite, alho, sal e pimenta;

Grelhar os camarões em azeite e alho, colocando-lhes um pouco de noz-moscada, sal e pimenta;

Fazer os Mexilhões à marinheira (Num tacho, largo e fundo, refogar a cebola e o alho bem picados em azeite, juntando depois vinho branco, sal e pimenta e deixar cozinhar a cebola por mais cinco minutos. Adicionam-se os mexilhões, tapa-se o tacho e deixa-se cozinhar até que estejam abertos. No final polvilhar com a salsa picada);

Para a gelatina basta juntar água, as cabeças do camarão e citrinos triturados. Aquecer num tacho durante 15 minutos, coar a mistura (sobretudo para retirar as cabeças do camarão), adicionar o gelificante e levar ao frigorífico já na base dos pratos onde vão servir.  

Perna de coelho com o seu fígado, cogumelos, batata assada e salteado de legumes

Na véspera ponham a marinar o coelho com sal, pimenta, noz moscada, massa de pimentão, paprika, alho, whiskey, vinho do Porto Ruby e azeite.

No dia seguinte, após alourarem o coelho em azeite e alho,  levem-no a assar na marinada, acrescentando 500ml de caldo de galinha, um pau de canela e uma estrela de anis. Juntem as batatas e os cogumelos. Assem durante duas horas a 180ºC, virando o coelho a cada meia hora.

Saltear cenouras, ervilhas, courgettes, abóbora, feijão verde e couve flôr em azeite e alho, juntando no final um pouco do suco resultante do assado e o sumo de um limão.